quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Casas eficientes

A Eletrobras e o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) lançaram em 29 de novembro de 2010, em São Paulo, a Etiqueta Nacional de Conservação de Energia para residências e edifícios multifamiliares. A etiqueta, assim com as voltadas para edifícios comerciais, de serviços e públicos e para eletrodomésticos, será concedida dentro do Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE).
“A necessidade da redução do consumo de energia nas edificações é um aspecto presente tanto nos projetos de novos edifícios como também na discussão de políticas públicas”, afirma Solange Nogueira, gerente da Divisão de Eficiência Energética em Edificações da Eletrobras/Procel Edifica. No Brasil, a energia elétrica dos edifícios corresponde a cerca de 45% do consumo, sendo que as residências são responsáveis por mais de 22% desse total.
No lançamento, serão entregues as primeiras etiquetas. Uma delas será para a Casa Eficiente da Eletrobras Eletrosul, em Florianópolis (SC). “A avaliação das edificações residenciais baseia-se, principalmente, em aspectos que apresentam consumo significativo de energia elétrica numa residência, ou seja, o desempenho térmico da envoltória – as fachadas e coberturas –, com ênfase na iluminação e ventilação naturais, e na eficiência do sistema de aquecimento de água”, explica Solange.
Desde julho de 2009, quando foi lançada, já foram emitidas 14 etiquetas de eficiência para edifícios comerciais, de serviços e públicos. “A etiquetagem está se tornando cada vez mais conhecida na cadeia produtiva da construção civil, ainda que em estágio voluntário”, avalia Solange. Na ocasião, uma agência da Caixa Econômica Federal em Curitiba (PR) e mais quatro projetos de prédios receberam a etiqueta com nível “A” de economia de energia, depois de avaliados em três níveis de eficiência: envoltória, sistema de iluminação e sistema de condicionamento de ar. (ambienteenergia)

Nenhum comentário: