terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Aquecimento global é escapismo?

Para chefe do IPCC, esperar mais evidências do aquecimento é escapismo
Rajendra Pachauri considera que países não devem esperar novas provas para tomarem as medidas necessárias contra a mudança climática.
Segundo o IPCC já existem provas suficientes que as emissões causam o aquecimento global
Durban, África do Sul - Líderes que esperam ter mais evidências sobre o perigo do aquecimento global flertam com o escapismo, alertou em Durban, Rajendra Pachauri, chefe do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC), grupo de cientistas da ONU ganhador do Nobel da Paz e que em 2007 emitiu o alerta sobre a ameaça que as mudanças climáticas representam para o planeta.
Cento e noventa e quatro países estão reunidos em Durban para encontrar os meios de limitar a elevação da temperatura da Terra a 2ºC.
Alguns negociadores sugeriram aguardar o próximo relatório do IPCC, em 2014, antes de adotar decisões mais fortes no combate às mudanças climáticas. Eles alegam que esperariam as determinações como um nível mais exato do aquecimento que o planeta resistiria.
Pachauri discorda: o último relatório do painel, publicado em 2007, "traz elementos suficientes nos quais se apoiar para agir. Não é possível imaginar que tenhamos que esperar indefinidamente por novas provas", disse o cientista em entrevista à AFP, à margem das negociações de Durban que devem terminou em 10/12/11.
"Se o mundo aceita esta realidade científica, então a comunidade internacional deve reagir", acrescentou.
O IPCC considera que a evidência de aquecimento climático é inequívoca, com mais de 90% de probabilidade de que as causas sejam as atividades humanas. Daí a necessidade de aplicar medidas globais que detenham as emissões em setores como energia, indústria e desmatamento.
"Certamente o próximo documento permitirá, talvez, melhorar algumas coisas, fazer alguns ajustes (...), mas dizer que temos que esperar é negar a realidade", afirmou. (exame)

Nenhum comentário: