quinta-feira, 15 de maio de 2014

Dispositivo regula vazão na torneira

Em época de crise de falta d’água no Sistema Cantareira (principal fonte de abastecimento da Grande São Paulo) e de escassez de chuvas, a regra nas casas e condomínios paulistas é economizar o máximo possível. 
E não basta apenas diminuir o tempo de consumo. É preciso que todas as saídas de água, como torneiras, chuveiros e descargas, estejam reguladas para ter a menor vazão possível.
Em casas de material de construção e depósitos é possível encontrar “equipamentos economizadores”, dispositivos que têm a capacidade de diminuir o desperdício de água sem reduzir o conforto de quem precisa dela.
Em uma ducha de 15 a 20 metros cúbicos de água, por exemplo, o consumo de um equipamento convencional é de 0,34 litro por segundo. Com a instalação de um restritor de vazão, um equipamento instalado no interior do chuveiro que diminui o volume de água gasto, é possível economizar 62% desse total, chegando a 0,13 litro por segundo.
Alguns equipamentos, como o arejador de vazão (um acessório com orifícios na lateral que permitem a entrada do ar para criar uma maior sensação de volume), possibilitam uma economia de até 76% em torneiras.
Segundo o gerente da Divisão de Uso Racional de Água da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), Ricardo Chahim, a própria indústria de equipamentos hídricos já vem se adaptando para atender à demanda de redução do consumo. “As bacias sanitárias são fabricadas desde 2001 com volume de vazão reduzido. Quem comprou antes disso deve trocar ou comprar economizadores.” (OESP)

Nenhum comentário: