terça-feira, 1 de setembro de 2015

Em busca de soluções criativas para a crise da água

Cursos ajudam na busca de soluções criativas para a crise da água.
Pós-graduações na área ambiental capacitam profissionais para planejamento e gestão de recursos hídricos.
Anselmo do Nascimento faz pós em Gestão dos Recursos Hídricos
Quando a água falta na torneira, sobram desafios. Cursos de pós-graduação na área ambiental ajudam a capacitar profissionais para atuar nesse cenário de crise hídrica. As especializações são também a chance de se diferenciar em um mercado que exige não só soluções rápidas e criativas, mas habilidade de planejamento e gestão.
Para o técnico ambiental Anselmo Alves do Nascimento, de 29 anos, a pós-graduação em Gestão de Recursos Hídricos, no Centro Universitário SENAC, é um passo importante antes de assumir uma vaga na área de saneamento em uma empresa de Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo. Lançado em março deste ano, o curso inclui discussões e estudos de caso sobre a situação dos reservatórios. 
“Um professor nos levou para conhecer a administração da Represa Billings (na zona sul de São Paulo) em uma aula sobre os usos múltiplos das águas. O curso pode ser bem aplicado na prática.” Segundo a coordenadora da pós, Silene Bueno de Godoy Purificação, ver de perto é uma das tônicas da especialização. “As visitas técnicas mostram mais de um aspecto de determinada situação na gestão da água.”
Tornar sistêmico o conhecimento sobre o assunto é um dos desafios desse tipo de formação. Longe de ser causada apenas pela falta de chuva, a questão hídrica no País envolve dilemas de setores diferentes. “Os alunos estudam sobre uso e ocupação do solo, proteção da fauna e da flora. Também aprendem sobre legislação”, explica Silene, que coordena ainda o curso de Perícia Ambiental, também lançado neste ano pelo SENAC. 
A turma mista, com profissionais de Engenharia, Biologia, Geografia e até Direito, é uma vantagem, segundo Nascimento. “Todo mundo pode contribuir. A natureza é dinâmica, e o curso faz a gente pensar de todas as formas.”
A diversidade de alunos também é uma realidade na pós em Gerenciamento de Recursos Hídricos e Planejamento Ambiental em Bacias Hidrográficas, da Universidade Estadual Paulista (UNESP), que recebe de psicólogos a arquitetos.
Com aulas no campus de Ourinhos, o foco é a realidade local da bacia do Paranapanema, no interior do Estado.
Um dos objetivos da especialização é estimular pesquisas na área. “Meu projeto de conclusão de curso é sobre as matas ciliares na bacia do Paranapanema”, explica o geógrafo Rafael Dantas, de 30 anos, que está concluindo o curso. A terceira edição da pós da UNESP ainda depende de recursos financeiros para ser lançada.
Segundo Rodrigo Lilla Manzione, coordenador do curso, além dos assuntos técnicos, o poder também é tema explorado na grade da especialização: “a geopolítica é importante para entender as relações construídas ao longo dos anos que acabam fazendo a diferença para o surgimento de conflitos pelo uso da água”.
As disputas dentro do contexto da crise hídrica também são analisadas na especialização no Senac. “Hoje vivemos uma situação muito conflituosa no abastecimento. Os alunos trabalham técnicas de negociação. É preciso saber lidar com isso para fazer uma gestão adequada.”
Redução de perdas. Rodrigo Cabral desenvolveu técnica para evitar desperdício de água
As especializações também podem ser o primeiro passo para novas práticas entre profissionais que já atuam na área. Para Rodrigo Chimenti Cabral, de 33 anos, a pós em Engenharia de Saneamento Ambiental no Mackenzie teve gosto de invenção. Com a ajuda de professores especialistas, o engenheiro civil, que procurou o curso depois que começou a trabalhar na Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), desenvolveu um mecanismo que reduz a perda de água na distribuição - uma das principais causas do desperdício. “Me ajudou a abrir mais a visão sobre meu trabalho e inovar.”
Segundo Dante Ragazzi Pauli, professor da pós, a crise hídrica estimula os profissionais a buscarem formação específica. “O tema acaba fazendo parte de todas as matérias. É um grande mote.”
Os mananciais mais afetados do Estado e obras de transposição são assuntos discutidos nas aulas. “Também abordamos o que outros países têm feito para superar a crise”.
Água ganha destaque mesmo em pós sobre outros temas
Mesmo cursos que não são específicos sobre a gestão de recursos hídricos já trazem em suas disciplinas assuntos sobre a crise da água. É o caso do Master em Gestão de Sustentabilidade da Fundação Getulio Vargas (FGV).
“O tema da água é olhado na perspectiva de estratégia de negócios”, explica Paulo Branco, professor da disciplina de Sustentabilidade e Estratégia Empresarial. Os alunos estudam não só o impacto da crise para os negócios como oportunidades de inovar e lidar de forma mais responsável com a água. 
“O curso discute como a empresa lida com desafios da atualidade. E um deles é a questão hídrica”, explica Mariama Vendramini, de 30 anos, que fez a especialização na FGV e atualmente trabalha como diretora comercial e financeira de uma empresa de investimentos ambientais. 
Conhecimentos sobre legislação ambiental também se tornam cada vez mais importantes. Licenciamentos e trabalhos de consultoria e perícia na área demandam profissionais afiados nas leis. 
“A sustentabilidade passou a ser um item de concorrência entre as empresas. Para ser sustentável, é preciso cumprir todos itens da legislação”, explica Consuelo Yoshida, coordenadora da pós em Direito Ambiental da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP).
Para Murilo Damato, de 56 anos, que atua como consultor na área de qualidade da água, o curso da PUC-SP ajuda no diálogo com advogados. “Quanto maiores os conflitos, mais evidente fica o papel da questão legal”. 
Agência Nacional de Águas oferece cursos gratuitos para jovens
A Agência Nacional de Águas (ANA) está com inscrições abertas para um curso online para adolescentes, em parceria com a Fundação Parque Tecnológico Itaipu. “É um esforço de trazer o que está por trás da crise e como são tomadas as decisões”, explica Taciana Leme, coordenadora de Capacitação do Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos.
Para membros de comitês de bacia e gestores, há aulas sobre cobrança pelo uso da água e sobre planejamento, manejo e gestão de bacias hidrográficas. “A crise é uma oportunidade para encarar esse desafio e encontrar formas de superá-lo.”
Serviço
Centro Universitário SENAC 
Gestão de Recursos Hídricos 
Inscrição: Maio de 2016 
Vagas: 40 
Preço: Não informado 
Perícia Ambiental 
Inscrição: Outubro de 2015 
Vagas: 30 
Preço: Não informado 
Agência Nacional de Águas 
Água em Curso (online) 
Inscrição: Até 31/8 
Vagas: 200 
Preço: Gratuito 
Cobrança pelo Uso dos Recursos Hídricos (online) 
Inscrição: Até 6/9 
Vagas: 60 
Preço: Gratuito 
PUC-SP 
Direito Ambiental 
Inscrição: Até 3/9 
Vagas: 20 
Preço: R$ 6.620 (1º módulo) 
Site: pucsp.br 
FGV 
Gestão de Sustentabilidade 
Inscrição: Online para 2016 
Vagas: Não informado 
Preço: R$ 35.921 (valor de 2015) 

Nenhum comentário: