domingo, 13 de novembro de 2016

Primavera/verão 2016/17 terão chuvas mais distribuídas pelo país

La Niña: primavera e verão 2016/17 terão chuvas mais distribuídas pelo país
Com o enfraquecimento do El Niño o clima começa a mudar no país e as frentes frias que vêm do Sul do vão poder avançar rumo ao Centro-Oeste. Segundo a Somar, esse ano pode não ocorrer chuvas em junho, mas tudo indica que no próximo mês e na primeira quinzena de maio teremos pelo menos dois episódios de chuvas. O outono deve ter temperaturas mais amenas, favorecendo a 2° safra do milho.
A partir do segundo semestre o Brasil vai sentir os efeitos do fenômeno climático La Niña, que resultará em chuvas acima da média nas regiões Norte e Nordeste do Brasil e seca na região Sul. La Niña significa “a menina” em espanhol e é um fenômeno climático natural que consiste na alteração cíclica das temperaturas médias do Oceano Pacifico resultando na modificação do clima em várias partes do mundo.
O ano de 2016 será marcado pela presença de dois fenômenos opostos, um no início do ano, o El Niño, responsável pelo aumento das temperaturas no Nordeste brasileiro e inundações na Região Sul, e o La Niña que terá início no fim do ano, por volta do mês de novembro e se estenderá ao longo do próximo semestre. O La Niña tem duração de nove a doze meses e não ocorre todos os anos da mesma forma.
Mudança no clima a partir do segundo semestre de 2016:
Chuvas diminuem no sul do Brasil favorecendo as culturas de inverno, porém aumentando o risco para a safra de verão/2017;
No Centro-Oeste e Sudeste haverá um período seco durante o inverno e a primavera, porém as chuvas começam a aumentar no verão 2017;
Indicativo de melhoria no período de chuvas na região do MATOPIBA (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia);
Precipitações mais constantes no Norte e no Nordeste, o que não ocorreu em 2015 e no começo deste ano. (trajanosilva)

Nenhum comentário: