sexta-feira, 9 de novembro de 2018

Denúncia de desmatamentos do Cerrado, no Maranhão

Cerrado no Maranhão é o maior bioma.
As comunidades de Pau Serrado, Rio Grande dos Lopes, Capão se fizeram presentes na comunidade de Cabeceira da Tabatinga, município de Santa Quitéria, para discutirem e denunciarem os desmatamentos do Cerrado que são verificados em boa parte da Fazenda Tabatinga.
As informações prestadas pelos moradores da Cabeceira e pelos participantes dão conta que espécies do Cerrado como Bacuri e Pequi quase não existem mais em alguns trechos da Chapada e que alguns moradores da Cabeceira praticam o desmatamento em parceria com indivíduos de outras localidades conhecidos por desmatarem outras Chapadas nos municípios de Barreirinhas e Santa Quitéria.
O Cerrado ocupa uma área de dois milhões de km2, esse valor corresponde a 24% do território nacional.
Os membros da Associação da Cabeceira da Tabatinga calculam que os desmatamentos próximos a comunidade alcançaram 500 hectares e que o proposito é fabricar carvão vegetal, ao todo são 13 fornos de carvão, e vender a madeira. Um dos destinos da madeira é o povoado de São João dos Pilões em Brejo.
Afora os desmatamentos há também denuncia de ameaças de morte provenientes dos desmatadores a aqueles que se atrevem a denunciar o que ocorre.
Os nomes dos responsáveis pelos desmatamentos: Carretel, Miguel Puba Raimundo Zezé, Bernardo Antenor, Quem (Francisco) e Francisco (Porta Branca).
As comunidades exigem que as Secretarias de Meio Ambiente do Estado do Maranhão e do Município de Santa Quitéria e o Ministério Publico paralisem imediatamente os desmatamentos e que instaurem procedimentos de investigação referentes a esse caso. (ecodebate)

Nenhum comentário: