terça-feira, 13 de agosto de 2019

Mudanças climáticas intensificam a seca de verão em partes dos EUA

Mudanças climáticas intensificam a seca de verão em partes dos EUA, aponta estudo.
mudança climática está amplificando a intensidade e a probabilidade de ondas de calor durante secas severas nas planícies do sul e sudoeste dos Estados Unidos, de acordo com um novo estudo realizado por um pesquisador da Universidade de Arkansas.
Linyin Cheng, professor assistente de geociências, usou dados do Modelo de Sistema Comunitário de Terra do Centro Nacional de Pesquisa Atmosférica para estudar as secas de verão que ocorreram antes e depois da Revolução Industrial. Cheng e seus colegas da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica e universidades da China e do Colorado fizeram simulações para avaliar como, e em quanto, as mudanças climáticas induzidas pelo homem afetam as ondas de calor do verão nos Estados Unidos contíguos. O estudo foi publicado no Journal of Climate.
Os pesquisadores descobriram que em locais com baixa umidade no solo, como nas planícies do sul e no sudoeste, temperaturas mais altas provocadas pela mudança climática levaram a um aumento no “acoplamento” de terra e atmosfera, o que aumentou ainda mais a severidade das ondas de calor.
Em locais com mais umidade no solo, como o nordeste, não encontraram acoplamento apreciável e, portanto, não contribuíram para a intensificação da onda de calor.
“Nossa análise da simulação climática mostra que as relações entre a seca e a onda de calor mudam significativamente no sul e no sudoeste dos Estados Unidos devido à mudança climática provocada pelo homem desde o final do século 19”, disse Cheng. “Por outro lado, a relação entre a seca e a onda de calor nas regiões do norte dos EUA sofre pouca mudança no clima mais quente”.
Os resultados levantam a ideia de um ciclo climático auto reforçador: como o clima de uma região se torna mais árido devido à mudança climática, as secas se tornam mais quentes, reduzindo ainda mais a umidade do solo.
“No geral, esses resultados indicam que o feedback da atmosfera terrestre reforçada é um fator físico significativo para aumentar as ocorrências de ondas de calor extremas relacionadas à seca, particularmente nas regiões semiáridas e áridas dos Estados Unidos”, afirma o relatório. (ecodebate)

Nenhum comentário: