domingo, 31 de janeiro de 2010

Boletim da ONU aponta concentração recorde de gás carbônico na atmosfera em 2005

A concentração de gás carbônico na atmosfera registrou nível recorde em 2005, quando a quantidade do gás na atmosfera foi de 379,1 partes por milhão. O número representa um aumento de 0,53% em relação ao ano anterior, quando a concentração era de 377,1 partes por milhão. Os dados estão no boletim da Organização Metereológica Mundial, das Nações Unidas. O gás carbônico é o segundo fator responsável pelo agravamento do efeito estufa e pelo superaquecimento da Terra. O aumento do nível no ambiente se deve, em grande medida, às emissões relacionadas ao consumo de combustíveis fósseis, destaca o relatório. Desde o final do século 17 foi registrada uma elevação de 35,4% na concentração de gás carbônico na atmosfera. Cresceu também, entre 2004 e 2005, a concentração de óxido nitroso – mais 0,19%, o que resulta em 319,2 partes por bilhão. O óxido nitroso é liberado devido ao consumo de combustíveis, combustão de biomassa, uso de fertilizantes e de alguns processos industriais. As concentrações de gás metano, de acordo com o boletim, mantiveram-se estáveis. A publicação do boletim com os dados que mostram o agravamento da emissão de gases tóxicos ocorreu às vésperas da reunião das partes do Protocolo de Quioto, em Nairóbi (Quênia), entre os dias 6 e 17 de dezembro de 2009. A reunião ocorrereu paralelamente à conferência das Nações Unidas sobre mudanças climáticas.

Nenhum comentário: