terça-feira, 19 de julho de 2011

Redução das queimadas é bom exemplo

Redução das queimadas faz Ribeirão Preto ser bom exemplo
CETESB obriga usina a instalar filtros e fiscaliza a emissão de gases veiculares nos perímetros urbanos
Ribeirão Preto saiu do nível saturado de poluição, acima de 160 microgramas por metro cúbico de 2009, para abaixo de 144 em 2010. O gerente regional da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB), Marco Antonio Artuzo, aponta a condição meteorológica mais favorável à dispersão de poluentes e o fim, ou pelo menos a redução, de queimadas de cana-de-açúcar na área urbana.
"Não são aspectos matematicamente comprovados, mas podem ter ajudado", diz Artuzo. Ele detalha que o ozônio se forma pela reação de óxidos de nitrogênio com gases voláteis, acelerados pela luz solar. Diante disso, o fim das queimadas pode ser um dos fatores de redução de óxidos de nitrogênio.
Usinas e inspeção veicular. O gerente enfatiza que a própria CETESB tem obrigado as usinas sucroalcooleiras a instalar equipamentos de alta eficiência nas caldeiras que processam os bagaços de cana. "Isso tem se acentuado desde 2004."
Artuzo também cita que a CETESB tem fiscalizado as emissões de gases veiculares nos perímetros urbanos e ressalta que várias prefeituras (Ribeirão Preto, Sertãozinho, Altinópolis e Santa Rosa de Viterbo, entre outras) também estão contribuindo para a melhoria da qualidade do ar, com o controle das próprias frotas de veículos e recuperação de áreas de preservação permanente e reflorestamentos. "Isso tudo vai criando uma condição de melhoria da qualidade do ar na região", afirma Artuzo.
A CETESB tem uma estação medidora de qualidade do ar instalada no bairro Ipiranga, em Ribeirão Preto, com raio de alcance de 30 quilômetros. A estação funciona de forma intercalada desde 2004 e de forma efetiva e ininterrupta desde 2009, com equipamentos mais sofisticados. A medição é de hora em hora e acessível pela internet. (OESP)

Nenhum comentário: