sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Preocuparções Aquecimento Global

Aquecimento Global: porque devemos nos preocupar?
Um pouco de história
• No início da história do homem, os impactos ambientais eram muito pequenos, com o aumento da população e o desenvolvimento tecnológico essa situação mudou. Sem contar a ampliação da agricultura, e, mais tarde a industrialização.
Causas do desmatamento
• A utilização dos terrenos para a agricultura;
• A exploração de recursos minerais;
• A extração de madeira;
• A construção de hidrelétricas;
• As queimadas ( incêndios propositais ou não).
Impactos ambientais decorrentes das queimadas
• Extinção e redução da biodiversidade;
• Extermínio de indígenas;
• Erosão e empobrecimento dos solos;
• Assoreamento do leito dos rios;
• Desertificação;
• Aumento de CO2 na atmosfera resultante das queimadas;
• Rebaixamento do lençol freático;
• Mudanças climáticas.
Desertificação
Suas causas são:
• Uso intensivo do solo para a agricultura;
• Fragilidade do ecossistema;
• Desmatamento;
• Pecuária extensiva;
• Técnicas não apropriadas de irrigação e cultivo.
Implicações da desertificação
• Problemas sociais: fome, analfabetismo, diminuição de renda e do consumo;
• Migração dos habitantes de áreas secas: pobreza humana;
• Destruição da biodiversidade;
• Erosão dos solos;
• Redução dos recursos hídricos;
• Redução de terras cultiváveis.
Erosão dos solos e a utilização de agrotóxicos em áreas agrícolas
Causam:
• Danos à saúde de trabalhadores rurais;
• Agrotóxicos contaminam as águas e também contaminam os solos, os tornando pobres e inférteis;
• Uso excessivo de inseticidas faz aparecer pragas mais resistentes;
• A erosão é um problema que ocorre, em todo mundo, sendo mais intensa na zona tropical.
A poluição das águas
Principais fontes poluidoras:
• Resíduos industriais;
• O chorume do lixo orgânico;
• Esgotos sem tratamento;
• O lixo sólido;
• Resíduos agropecuários;
• Atividades mineradoras.
Poluição sonora e visual
É gerada pela liberação de energia como luz, calor e som geralmente observados nas grandes cidades.
Afeta a saúde mental, pois causa irritação, nervosismo, fadiga e outros sintomas relacionados com o sistema nervoso e os órgãos dos sentidos.
Poluição térmica
O aumento da temperatura do ar ou da água provoca alteração do meio é denominado poluição térmica.
A elevação da temperatura propicia o desenvolvimento de fungos e bactérias, muito dos quais causam doenças em peixes em outros organismos.
Poluição por eutroficação
A eutroficação corresponde ao aumento excessivo de nutrientes na água. Pode ser natural ou provocada por resíduos urbanos, industriais ou agrícolas. Ocorre o aumento de bactérias aeróbicas, que consomem grande parte do oxigênio existente na água. Assim, não há oxigênio para todos, causando grande mortalidade e o desenvolvimento de bactérias anaeróbicas.
Poluição por substâncias não biodegradáveis
São as substância que não sofrem decomposição, caso principalmente das substâncias organocloradas, como DDT, e dos metais pesados, como o mercúrio, que, se ingerida, pode levar o indivíduo à morte.
Impactos ambientais causados pela poluição do ar
Nas escalas local e regional, destacam-se a inversão térmica, as “ilhas de calor” e a chuva ácida. Em escala global, o aquecimento global (efeito estufa) e a destruição da camada de ozônio.
Inversão térmica
A inversão térmica é um fenômeno que ocorre naturalmente em vários lugares da Terra. Porém, quando ocorre nas grandes cidades, contribui para agravar o problema da poluição.
“Ilhas de calor”
As médias térmicas são bem mais altas nas áreas centrais do que na zona rural. Isso acontece em virtude da grande concentração de prédios que impedem a circulação de ar. Essas áreas são chamadas de “ilhas de calor”. Atua como uma zona de baixa pressão, atraindo ventos e maior quantidade de poluente.
Chuvas ácidas
A presença de poluentes no ar atmosférico torna a água da chuva mais ácida ainda. As consequências disso é o aumento de acidez da água e a perda de nutrientes do solo.
O que é aquecimento global?
Aumento da temperatura média global, ocasionado pelo acréscimo de Gases Efeito Estuda (GEEs) na atmosfera, gerando a intensificação do Efeito Estufa.
Aquecimento Global
“O Aquecimento Global é o grande responsável pelo aumento da temperatura do globo em 0,6°C desde 1860.”
Efeito Estufa
O efeito estufa, dentro de uma determinada faixa, é de vital importância pois, sem ele, a vida não seria como a conhecemos não poderia existir.
O que se pode tornar catastrófico é a ocorrência de um agravamento do efeito estufa, que desestabilize o equilíbrio energético do planeta e origine um fenômeno conhecido como aquecimento global.
Mecanismo de Efeito Estufa
Efeito Estufa
• Gases Efeito Estufa:
– Dióxido de Carbono (CO2)
– Metano (CH4)
– Óxidos Nitrosos (NOx)
– Halogênios
– Clorofluorcarbonetos (CFCs)
– Hidroclorofluorcarbonetos (HCFCs)
Com o aumento populacional e a possibilidade de industrialização, as emissões de gases efeito estufa aumentaram muito desde o começo do século e tendem a aumentar mais.
Em termos estatísticos um habitante de país industrializado gera em média todos os anos 5t CO2; já para os países em desenvolvimento esse valor raramente supera 0,5t CO2 – décima parte.
Uma família de classe média, por exemplo, com dois filhos e dois carros, precisaria plantar 63 árvores por ano, para mitigar suas emissões.
Uma grande multinacional, que emite por ano 3,6 milhões de toneladas de CO2, precisaria plantar 20 milhões de árvores ao ano - o suficiente para preencher nada menos que 26.666 campos de futebol.
Dióxido de Carbono (CO2)
• Contribuição Antrópica:
• Transporte;
• Indústria;
• Domiciliar;
• Agricultura.
• Mineração de carvão;
• Extração e transporte de petróleo e gás natural;
• Mudança no Uso da Terra e Florestas;
Metano CH4
• Um aumento de CH4 no ar provoca, em termos de intensidade, um efeito equivalente à 21 vezes aquele proporcionado pelo CO2
• A vida média do CH4 na atmosfera varia entre 10 e 15 anos.
Óxidos nitrosos
• No nível molecular, o N2O é cerca de 206 vezes mais impactante que o CO2 no que se refere ao Aquecimento Global
• Desde a era pré-industrial até a década de 1980 a taxa de crescimento deste composto foi de 13%.
CFC
• Os CFCs têm elevada persistência no ar e alta taxa de absorção de energia, fazendo com que suas moléculas tenham potencial de Aquecimento Global equivalente ao de 10000 moléculas de CO2
• Mesmo assim o efeito final provocado pelos CFCs sobre a temperatura do globo é pequeno. Isso porque o aquecimento causado pelo CFCs em função do redirecionamento de energia é compensado pelo resfriamento que estes compostos induzem na estratosfera ao destruírem a Camada de Ozônio.
Impactos do Aquecimento Global
“A concentração de GEE na atmosfera pode atingir o dobro do seu nível pré-industrial já em 2035, significando um aumento de temperatura de 2º C”
Impactos
• BIODIVERSIDADE
– Deterioração de ecossistemas únicos e ameaçados
– Diminuição da biodiversidade -migração ou até extinção de espécies
– Êxodo de espécies do mangue por permanente elevação do nível do mar
– Mudanças nos ciclos de migração e reprodução
• AGRICULTURA
– Perda da produtividade na agricultura
– Ameaça a segurança alimentar
• OCEANOS
– Desgelo das calotas polares
– Aumento do nível dos oceanos
– Perda de regiões costeiras – deslocamento populacional e menor área de cultivo
– Aquecimento das águas superficiais – alteração das correntes marítimas e propicia proliferação de algas
– Deterioração dos recifes de corais pela elevação do nível do mar e da temperatura
– Perda da qualidade da água pela entrada de água marinha
Derretimento das calotas polares
Regime Hídrico
– Mudanças nos regimes de precipitações
– Eventos extremos – secas, enchentes e estações mais intensas
Saúde
- Falta de água potável
- Expansão e desenvolvimento de novas pestes
- Epidemias – dengue, malária, cólera entre outras doenças
- Pandemias devido ao aumento dos vetores de doenças mais comuns
Impactos
SOCIO-ECÔNOMICOS
• Prejuízos econômicos devido a desastres ambientais como furacões, secas, enchentes
• Submersão de ilhas oceânicas – êxodo populacional e diminuição do turismo (Ilhas do Pacífico)
• Conflitos entre países – além da busca por recursos naturais, também por causa do deslocamento populacional
• Pressão na infraestrutura dos órgãos públicos, principalmente dos países em desenvolvimento
Brasil
• Tendo em vista que os ecossistemas naturais não apresentam grande capacidade de adaptação à magnitude das mudanças climáticas se estas ocorrerem no curto intervalo de tempo é claro que o Brasil, país megadiverso, deverá sofrer graves alterações em seus biomas.
• Somando o aquecimento global às mudanças no uso do solo, é quase certo que em um futuro breve, acontecerão rearranjos importantes nos ecossistemas e até mesmo na redistribuição dos biomas brasileiros.
• O número de estudos sobre a resposta de espécies da flora e da fauna Amazônica e do Cerrado às mudanças climáticas é ainda pequeno, mas estes indicam que para um aumento de 2° a 3°C na temperatura média, até 25% das árvores do cerrado e 40% de árvores da Amazônia poderiam desaparecer.
• Não obstante, alterações no regime hídrico são certas, porém os estudos que trabalham com tal vulnerabilidade apresentam informações controversas, expondo tanto o aumento quanto a diminuição nos índices de chuva;
• A despeito, as mudanças climáticas afetarão no projeto, construção e operação de empreendimentos relacionados aos recursos hídricos devido a sua susceptibilidade.
– Nesse sentido, a área de energia no Brasil apresenta-se altamente vulnerável às mudanças climáticas, graças a importância da geração hidrelétrica na matriz energética do país.
No que diz respeito a saúde, serão favorecidas doenças cuja proliferação se dê em ambientes quentes e úmidos, tais como: malária, dengue, cólera, leishmaniose, leptospirose e hantovirose.
Adaptação
Segundo o IPCC (2001), os países que possuem menos recursos serão os que mais dificilmente se adaptarão e portanto, os mais vulneráveis. A capacidade de adaptação é dada pela “riqueza, tecnologia, educação, informação, habilidades, infraestrutura, acesso a recursos e capacidade de gestão”.
O que deve ser feito…
• Substituição de combustíveis fósseis;
• Uso de energia renovável e aumento da eficácia energética;
• Manejo adequado na agropecuária;
• Controle de queimadas e desmatamento;
• Métodos de captação e armazenamento de Carbono;
• Planejamento para a adaptação das nações;
• Visão internacional partilhada de objetivos a serem atingidos;
• E principalmente mudanças no padrão de consumo! (blogierb)

Nenhum comentário: