sábado, 21 de dezembro de 2013

Resíduos das Comemorações de Fim de Ano

Os garis da Comlurb tiveram trabalho reforçado neste dia 1º de janeiro/2013. Foram recolhidas 768 toneladas de resíduos após as festas de fim de ano, representando um aumento de 19% em relação ao ano passado. Só em Copacabana foram 403 toneladas, 10% a mais do que no último Réveillon.
As comemorações natalinas e de réveillon aumentam o consumo e com isso a produção de resíduos sólidos. Este aumento acontece durante todo o mês de dezembro e se acentua nos últimos dez dias em que se concentram as compras e o descarte das embalagens e outros resíduos, incluindo-se os orgânicos originados em restos e sobras de alimentos.
Em dezembro/2012, somente na primeira semana a Secretaria de Limpeza Pública de Manaus contabilizou um acréscimo de 7 a 10% na quantidade de resíduos coletados. Certamente este percentual é mais elevado em capitais e cidades do Sudeste e Sul como São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Florianópolis e Curitiba. Em Florianópolis, que tem média de 1,2 kg diários de resíduos por habitante, neste período o aumento é de até quatro vezes – 4,8 kg de resíduos/habitante/dia – de acordo com pesquisa da professora Ivone Silva do Departamento de Ciências Exatas e da Terra da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Em São José dos Campos/SP, a empresa Urbam informa que em dezembro/2011 os resíduos orgânicos tiveram aumento de 23% e os resíduos da coleta seletiva aumentaram 33%.
Este aumento dos resíduos sobrecarrega os serviços de limpeza urbana, principalmente quando mal acondicionados ou misturados, sem critérios de separação entre os orgânicos e os recicláveis.
Aumentam também a variedade dos resíduos e o descarte indiscriminado, dificultando ainda mais a coleta e destino ambiental adequado e com isso causando muitos transtornos evitáveis como entupimentos de canos, bueiros e bocas de lobo, poluição ainda maior dos cursos de água urbanos, proliferação de insetos, ratos e outros animais e todos os aspectos negativos da irresponsabilidade e da falta de critérios de consumo.
Outras questões importantes deste período são o agravamento da poluição luminosa e da poluição sonora pelo uso de fogos que afetam adversamente os animais como cães e aves, além de aumentarem os riscos de incêndios e acidentes com queimaduras e outros traumas.
É importante neste período utilizar a metodologia dos quatro Rs ao planejar as comemorações natalinas e do réveillon: reduzir, racionalizar, reutilizar e reciclar são atitudes que podemos adotar como consumidores diminuindo com isso a nossa “pegada” individual e coletiva na formação de passivos ambientais e na disponibilidade dos recursos naturais.
Ao fazer compras optar por produtos sustentáveis com menos embalagens, menores volumes e úteis, rejeitar sacolas plásticas em excesso e preferencialmente levar sua própria sacola ou pedir que a loja ou mercado utilize caixas de papelão para o transporte, consumir produtos locais, evitar o uso de copos, pratos, talheres e enfeites descartáveis, acondicionar corretamente as embalagens vazias, classificando-as de acordo com o tipo de resíduo, planejar adequadamente os cardápios para evitar sobras, reaproveitando-as quando possível, são ações que certamente não custam mais caro ou tiram a diversão das festas com nossos familiares e amigos.
E para lembrar: o Jesus que comemoramos o nascimento não foi um consumista farisaico que julgou o próximo pelo tinha ou podia ter, ao contrário, afirmou no Sermão do Monte que são felizes os pobres, os aflitos, os insultados e perseguidos, os que têm sede e fome de justiça, os que promovem a paz porque estes são os filhos de Deus. E para comprovar suas palavras, em certa ocasião expulsou os ricos comerciantes e os vendilhões do templo. E os Magos do Oriente chegaram a Jerusalém seguindo uma estrela de conhecimento e fé e não as luzes artificiais de lâmpadas coloridas ou o espocar de fogos de artifício. (ecodebate)


Nenhum comentário: