quinta-feira, 17 de abril de 2014

Com chuva, nível do Cantareira sobe para 12,3%

Com chuva, nível do Cantareira sobe para 12,3%
Situação no reservatório continua crítica; água do volume morto deve durar até 27 de novembro.
Nível do Sistema Cantareira é o mais baixo da história.
O nível do Sistema Cantareira apresentou nova alta em 16/04/14. Após registrar 0,1% de aumento e de ficar estável por alguns dias, o volume de água subiu de 12% (registrado nesta terça-feira) para 12,3%, segundo a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo). A chuva que tem atingido a cidade nesta semana é um dos motivos para a pequena melhora no sistema.
Em 15/04, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) se disse "muito feliz" com a chuva já que a água seguiu para o nordeste, onde está o Sistema Cantareira. Durante um evento de entrega de ônibus para transportes de crianças e jovens a entidades assistenciais, Alckmin foi questionado por um repórter se estava feliz com a chuva.
— Muito, né? A Sabesp está fazendo um trabalho enorme no sentido de redução de perdas e a nossa preocupação é o sofrimento das pessoas, é não impor sofrimento para as pessoas. Então, vamos fazer o possível para fazer o máximo de medidas que não prejudiquem a população.
Mesmo com crise, Sabesp diz que SP tem abastecimento de água garantido até o final do ano.
População de SP teve que racionar água pelo menos três vezes nos últimos 15 anos.
No entanto, em 09/04 pela primeira vez desde o início da crise hídrica, Alckmin afirmou que a hipótese de um racionamento de água na Grande São Paulo não está totalmente descartada. O novo secretário de Saneamento e Recursos Hídricos de São Paulo, Mauro Arce, também reforçou a mudança de discurso do governo paulista e declarou que a crise da água é mais delicada que a de energia. 
Além disso, um documento divulgado pela Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) cita oficialmente, pela primeira vez, a possibilidade de um rodízio de água neste ano na região metropolitana de São Paulo. (r7)

Nenhum comentário: