segunda-feira, 19 de maio de 2014

Medidas Criativas e Bizarras para salvar o planeta

Medidas Criativas e Bizarras para salvar o planeta
Estamos vivendo um período da história onde a preocupação com os recursos naturais e a maneira como os usamos deixou de ser algo distante para se tornar objeto de discussão para criação de medidas na tentativa de amenizar um pouco o impacto que as indústrias e o modo de vida da sociedade atual geram em nosso planeta. Embora este seja um assunto sério, está se tornando maçante, pois vemos uma minoria engajada em medidas inovadoras enquanto o resto apenas insiste na velha teoria que todos já estão cansados de saber qual é. A seguir você verá algumas medidas bem diferentes na tentativa de salvar o planeta, que certamente fogem de tudo aquilo que você já viu e ouviu a respeito deste assunto.
Escurecer a Atmosfera
Atmosfera
Inspirados na erupção do vulcão filipino Pinatubo, no ano de 1991, cujas cinzas reduziram a temperatura da Terra em 0,5°C, cientistas californianos sugeriram algo radical: lançar anualmente aerossóis de sulfato na atmosfera para obter um efeito semelhante. O problema da medida é que ela poderia aumentar a acidificação do oceano, destruindo a camada de ozônio.
Colocar Espelhos no Espaço para Refletir o Sol 
Refletir o Sol
Segundo o astrônomo Roger Angel, essa medida refletiria luz solar o suficiente para reverter o aquecimento global. Ela seria posta em prática com auxílio de um foguete eletromagnético, que tem mais capacidade de carga que um ônibus espacial, que soltaria no espaço cerca de 1 milhão de espelhos de apenas 1 grama. De acordo com os cálculos de Roger, eles entrariam em órbita a 1,5 milhões de km da superfície terrestre. O procedimento precisaria ser repetido 16 milhões de vezes para ter o efeito esperado, mas mesmo assim só cobririam cerca de 2% da área da terra. O projeto levaria cerca de 30 anos para ser completado e teria um custo de 4 trilhões de dólares.
Padronizar o “Pum” dos Cangurus 
Canguru
Cientistas australianos de Queensland descobriram que no organismo dos cangurus há uma bactéria que os impede de “soltar pum” com metano, o gás causador do efeito estufa, mais perigoso inclusive que o dióxido de carbono. O objetivo dos pesquisadores agora é isolar a bactéria e criar um jeito de transmiti-la a outros animais, principalmente bois e ovelhas.
Fazer Plástico com Urina de Porco 
Urina de Porco
A ureia da urina do porco já é usada para fabricar bioplásticos por uma empresa dinamarquesa, substituindo o petróleo. Não há nenhuma diferença considerável da urina deles para a dos humanos, mas usa-se a deles para reciclar esse dejeto e evitar que fazendeiros tenham gastos maiores com o descarte, que por sua vez pode agredir a natureza. A empresa coleta 3 mil litros de urina por dia e é uma medida fantástica de reciclagem sustentável.
Gerar Florestas em Desertos 
Floresta no Deserto
Essa medida foi proposta por cientistas estadunidenses que pensavam em fazer isso construindo arquedutos gigantescos que levariam água do mar já dessalinizada a sementes de eucalipto no Outback australiano e no Saara. Apesar de interessante, a medida não é fácil, prática e tampouco barata, custando cerca de 2 trilhões e podendo desencadear a proliferação de gafanhotos, que seria um impacto ambiental negativo.  – Dessalinizar a água do mar em larga escala é uma excelente solução para o problema da falta de água potável no planeta, que já vem sendo adotada em países como Israel.
Colocar um Cobertor Gigante na Groenlândia 
Groenlândia
Jason Box, glaciologista da Universidade Estadual de Ohio, sugeriu milhões de cobertores para isolar as geleiras da Groenlândia (771 milhões, para ser exato). A ideia é que eles fossem levados até as bordas externas das montanhas de helicóptero e que lá os cientistas se encarregassem de desenrolá-los, fixá-los e costurá-los uns aos outros. Embora pareça muito estranho, essa medida já é usada nos Alpes suíços, porém numa área bem menor. O segredo está na composição do cobertor, que é polipropileno na parte de baixo, que insula a geleira e impede que ela absorva calor; já a parte de cima é de poliéster, que reflete a maioria dos raios ultravioleta e bloqueia a radiação solar. Estima-se que o custo para cobrir toda a borda da Groenlândia seja de 400 bilhões de dólares.
Jogar Ferro no Mar 
Ferro no Mar
A matemática neste caso é simples: o plâncton se alimenta de CO2 e o ferro causa a proliferação do plâncton, ou seja, mais plâncton, menos CO2. Cientistas alemães acreditam que a medida poderia reduzir 20% da quantidade desse gás na atmosfera, o problema é que mexer com essa forma de vida irá interferir na cadeia alimentar marítima, gerando consequências imprevisíveis.
Bullying Verde 
Vegetarianismo
Lorde Stern de Brentford, ex-conselheiro do governo britânico para assuntos climáticos, afirma que no futuro será inaceitável o hábito de comer carne. Esse vegetarianismo compulsório irá diminuir a criação de gado, a emissão de gases nocivos para atmosfera liberados nas flatulências dos bichos e também diminuirá o índice de desmatamentos para criação de pastos. (tocadacotia)

Nenhum comentário: