quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Mapeamento de agressividade climática na Amazônia

IBGE mapeia potencial de agressividade climática na Amazônia
Com dados provenientes de 326 estações meteorológicas, coletados durante três décadas, além de informações da SUDAM e do IBGE, o mapa integra os estudos produzidos pelo Diagnóstico Ambiental da Amazônia Legal. Em escala de 1:5.000.000 (1cm = 50km).
O IBGE apresenta o mapa do Potencial de Agressividade Climática na Amazônia Legal que integra os estudos produzidos pelo Diagnóstico Ambiental da região. Foram analisados dados provenientes de 326 estações climatológicas e pluviométricas do banco de dados do antigo Departamento Nacional de Águas e Energia Elétrica (DNAEE) e da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM), coletados entre 1960 a 1990, além de informações do Atlas Climatológico da Amazônia Brasileira (SUDAM, 1984) e do acervo do IBGE.
O mapa conjuga a análise das variáveis climáticas, ajustadas às características do relevo e da cobertura vegetal da Amazônia Legal, que ameniza os efeitos do clima.
A partir da integração e análise de todas as variáveis foram estabelecidas três grandes classes de agressividade (alta, média e baixa), subdivididas em níveis (fatores), segundo a combinação dos elementos: índice de concentração de chuvas; números de meses com excesso, número de meses com deficiência e totais médios anuais de chuva (tabela abaixo).
O mapa está em escala de 1:5.000.000 (1cm = 50km) e sua versão digital, nos formatos pdf e shape, pode ser encontrada no portal do IBGE, em: ftp://geoftp.ibge.gov.br/mapas_tematicos/integrado_zee_amazonia_legal/shape/shapes_potencial_agressividade_climatica.zip.
Arquivos em formato shape também estarão disponíveis em breve, como geoserviços, na INDE (Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais). (ecodebate)

Nenhum comentário: