sexta-feira, 19 de junho de 2015

Mulheres consumidoras contribuem para o desenvolvimento sustentável

Mulheres consumidoras podem contribuir cada vez mais para o desenvolvimento sustentável.
Garantir padrões sustentáveis de produção e compra é uma das propostas para os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que ampliam os esforços inspirados pelos Objetivos do Milênio nos últimos 15 anos.
Padrões de consumismo sem freios começam a mudar, com as mulheres mais conscientes na hora de comprar produtos que privilegiam a economia de água, energia e outros recursos naturais.
As mulheres são donos de um poder aquisitivo calculados em US 28 trilhões e são responsáveis por cerca de 70% das decisões globais de compra, segundo dados do Boston Consulting Group e publicações como a Harvard Business Review. Sua imagem de alguém que sai do shopping de sacolas cheias e não se importa em estourar o cartão de crédito está sendo substituída pela de quem privilegia os itens cuja produção economize água, energia e outros recursos naturais e que dá prioridade a produtos duráveis e recicláveis.
Esse e outros temas urgentes relacionados ao consumo foram incorporados aos novos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) que devem ser adotados no fim de setembro pelos Estados-membros da ONU. Garantir padrões sustentáveis de produção e compra tornou-se a prioridade número 12 dos ODS, que ampliam os esforços inspirados pelos Objetivos do Milênio nos últimos 15 anos.
“Os ODS não deixam ninguém para trás, nem os países ricos nem os pobres. Tudo e todos vão ter que mudar inclusive o setor privado que precisará de novos modelos de produção e consumo. Nós mulheres podemos atuar nesse setor”, declarou a representante do Programa da ONU para o Meio Ambiente (PNUMA) no Brasil, Denise Hamú.
Ações no Brasil
No Brasil, a Rede de Mulheres, formada por 232 empresárias, altas executivas, autoridades e pesquisadoras de todo o país, quer transformar a brasileira em porta-voz do consumo sustentável no mundo em desenvolvimento. Entre as iniciativas positivas está a campanha para reduzir em 5 bilhões a quantidade de sacolas plásticas usadas anualmente no Brasil. Outra ação em curso busca estimular a fabricação de produtos de limpeza concentrados e, ainda para, promover o uso correto de sabões, detergentes, amaciantes e outros itens.
A pesquisa “O que o brasileiro pensa do meio ambiente e consumo sustentável”, do Ministério do Meio Ambiente, destaca que 100 milhões de pessoas adquiriram poder de consumo nos últimos anos.
E, ao mesmo tempo, ⅔ dos brasileiros dizem desconhecer o que é consumo sustentável; 62% conferem o rótulo dos produtos, mas apenas 2% procuram saber se o produto é reciclável ou não; 18% descartam computadores, notebooks e outros equipamentos tecnológicos no lixo. (ecodebate)

Nenhum comentário: