quinta-feira, 23 de julho de 2015

Paraná recicla quase 100% das embalagens de agrotóxicos

Paraná destina para reciclagem quase 100% das embalagens de agrotóxicos
No Paraná, 98% das embalagens de todo agrotóxico comercializado no estado têm destino certo, a reciclagem ou incineração controlada. Em 2014 foram recolhidos das propriedades rurais 5,3 mil toneladas de embalagens vazias, o que faz o Paraná ser, proporcionalmente, o estado campeão em logística reversa de embalagens de defensivos agrícolas e modelo para o resto do Brasil.
Os dados são do Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (Inpev), que mantém convênio com Instituto das Águas do Paraná, órgão vinculado à Secretaria Estadual do Meio Ambiente, para recolhimento, treinamento, controle e outras ações do programa Campo Limpo.
De acordo com o coordenador do programa no Estado, Rui Mueller, o Paraná já avançou muito em quantidade. “Agora o foco é melhorar ainda mais a qualidade das ações para atingirmos 100% do recolhimento”, disse.
O programa, gerenciado pelo Inpev, se baseia na responsabilidade compartilhada entre agricultores, indústria, canais de distribuição e poder público. Antes de devolver no local indicado pelos revendedores, o agricultor deve lavar três vezes a embalagem, técnica mais conhecida como tríplice lavagem.
Na sequência entra a parte dos revendedores e fabricantes, que recolhem, armazenam e enviam o material para a reciclagem ou incineração controlada. O Governo do Estado treina e capacita agricultores, técnicos, estudantes e outros envolvidos no sistema de recolhimento das embalagens. “São mais de 7 mil pessoas que hoje estão treinadas e capacitadas no estado”, contou Mueller.
No Estado são 13 centrais de armazenamento e 50 postos de recebimento. De lá, 90% das embalagens recolhidas do campo são destinadas a recicladoras. O material que poderia contaminar rios, solo e comprometer a saúde pública, se fosse destinado de forma errada, vira tubulação para esgoto, embalagem para óleo lubrificante, caixa de bateria automotiva, conduítes e outros produtos. Os outros 10% de embalagens vazias de agrotóxico são encaminhadas para incineração controlada. (portalculturasulfm)

Nenhum comentário: