sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Projeção de vazões no Sudeste aumenta para 125%

Projeção de vazões no Sudeste aumenta para 125% da média histórica
Aumento diante da previsão anterior é de 36% o que poderá elevar os reservatórios a 33,1% ao final de setembro/15.
A nova previsão de afluências previstas para o final de setembro aponta uma forte elevação da energia natural afluente no submercado Sudeste/Centro-Oeste. Segundo dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico divulgados em 11/09/15, a perspectiva é de que essa região, que concentra cerca de 70% da capacidade de armazenamento de água encerre o mês com 125% da média de longo termo, um aumento de 36 pontos porcentuais ante a estimativa da semana passada para o mesmo período. Somente esta semana se espera ENA de 139% da média histórica.
Nas demais regiões a variação para o final do mês ante o que se esperava na semana passada é menor, sendo que ficou positiva no Nordeste, cuja previsão passou de 51% da média histórica para 56%. Já no Sul recuou de 105% da MLT para 98% e no Norte passou de 78% para 70% da média de longo termo.
O nível de armazenamento esperado para os reservatórios em setembro aumentou para o SE/CO de 29,7% para 33,1% do total de sua capacidade. No Sul essa houve recuo de 88,5% para 83,7%. No Norte, assim como a previsão de vazões, a de armazenamento recuou, passando de 49,3% para 44,1%. Por sua vez, no NE, o ONS projeta que ao final deste mês os reservatórios da região possam ficar com apenas 14,4% ante a previsão da semana passada de 13,9%.
Apesar da melhoria das afluências no Nordeste, o CMO médio continua deslocado do restante do país. Ficou em R$ 264,64/MWh ante os R$ 182,68/MWh nos outros três submercados. No Nordeste a carga pesada e média aumentou para R$ 314,63/MWh e a leve ficou em R$ 176,96/MWh, mesmo valor das demais regiões nesse patamar. Nos demais submercados a pesada e média foram estabelecidas em R$ 185,95/MWh.
Segundo o operador, a perspectiva de recuo na carga para setembro voltou a acelerar e alcançou o maior patamar até agora registrado com uma demanda que poderá ficar 5,3% menor quando comparado ao mesmo período de 2014. Esse indicador é fortemente influenciado pelas regiões SE/CO e Sul, cuja expectativa é de recuo de demanda de 7,5% e de 7,3%, respectivamente. No NE a estimativa é de aumento de 0,5% e no Norte de expansão de 4%.
A geração térmica na semana será de 15.327 MW médios, sendo que a maior parte, ou 9.488 MW médios por ordem de mérito. Outros 5.459 MW médios estão previstos por garantia energética, enquanto 326 MW médios por inflexibilidade e 54 MW médios por restrição elétrica.
De acordo com a previsão do tempo, no início da semana operativa que começa neste sábado, 12 de setembro estão previstas chuvas de intensidade fraca nas bacias dos rios Tietê, Grande, Paraíba do Sul, Doce e no Alto São Francisco. Enquanto no decorrer da semana deverá ser registrada precipitação também de intensidade fraca nas bacias dos subsistemas sul e SE/CO. A bacia do Tocantins deverá ter chuva fraca isolada durante a semana. (canalenergia)

Nenhum comentário: