segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Regiões úmidas estão mais úmidas e as secas mais secas


Regiões úmidas mundiais estão ficando mais úmidas e as regiões secas mais secas

As regiões úmidas do mundo estão ficando mais úmidas e as regiões secas estão ficando mais secas.

Pesquisa da Universidade de Southampton, forneceu provas sólidas de que as regiões úmidas da Terra estão ficando mais úmidas e as regiões secas estão ficando mais secas, mas isto está ocorrendo em um ritmo mais rápido do que se pensava anteriormente.
Mais chuva e maior desague dos rios em uma região de um oceano significa que a água do mar fica diluída e, portanto, torna-se menos salgada. Mais evaporação em outra região tira água fresca e deixa sal para trás tornando a região mais salina.

Os pesquisadores usaram medidas de salinidade ao longo dos oceanos globais nos últimos 60 anos para estimar o quanto a precipitação global está mudando.
Os pesquisadores descobriram que as regiões, que são relativamente úmidas, como o norte da Europa, estão ficando mais úmidas e as regiões secas estão ficando mais secas, em cerca de 2% nos últimos 60 anos. Este processo é chamado de amplificação do ciclo da água.
Pesquisas anteriores indicam que a amplificação do ciclo da água, está acontecendo a 7% por 1°C de aquecimento global. O novo estudo estima que a amplificação acontece em cerca de 3 a 4% por 1°C. A equipe de pesquisa acredita que isso é provavelmente devido a um enfraquecimento da circulação atmosférica que transporta água doce das regiões secas para as úmidas do globo.
Dr. Nikolaos Skliris, um pesquisador da Universidade de Southampton, que liderou o estudo, disse: “Nossos resultados coincidem com o que foi previsto por modelos de aquecimento do clima, em que as regiões úmidas tendem a ficar mais úmidas e as regiões secas em ficar mais secas.”
“Embora tenhamos constatado que este processo está a acontecer mais lentamente do que se pensava, se o aquecimento global exceder os 3°C, as regiões úmidas obterão provavelmente mais de 10% de umidade e a mesma proporção nas regiões secas, o que poderia ter implicações desastrosas para Fluxos de rios e agricultura. ”
Dr Skliris acrescentou: “O acordo entre modelos climáticos e observações sobre o passado recente é outra importante descoberta deste estudo, porque agrega confiança às projeções do modelo climático de amplificação do ciclo da água em cenários de emissão de gases de efeito estufa”. (ecodebate)



Nenhum comentário: