quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Comparação entre Católicos e Evangélicos frente às mudanças climáticas

Análise Comparativa da Percepção Ambiental entre Católicos e Evangélicos Frente à Problemática das Mudanças Climáticas.
1 – FASES DE ESTRUTURAÇÃO DA PESQUISA
A pesquisa – coleta de dados – foi única, porém os dados foram tabulados e trabalhados segundo dois enfoques complementares:
• Um foi voltado a definição do perfil de percepção ambiental da sociedade – Região da Grande Vitória (ES) – frente à problemática das Mudanças Climáticas.
Tamanho da amostra = 960 questionários
• Como a pesquisa foi direcionada para realização em igrejas – católicas e evangélicas – e esta informação estava explicitava no questionário base aplicado, como complemento foi possível (também) analisar de forma comparativa os níveis de percepção ambiental dos segmentos religiosos em questão
Tamanho da mostra = 480 católicos + 480 evangélicos = 960 questionários
2 – CRITÉRIOS DE ESTRUTURAÇÃO DA PESQUISA
2.1 – Tipo da análise
A amostra foi probabilística estratificada proporcional pelo número de residentes nos municípios amostrados e faixas etárias da população. Dentro de cada estrato (município e faixa etária) serão retiradas amostras aleatórias simples. A pesquisa foi do tipo estimulado, ou seja, a partir de um dado questionamento o entrevistado escolhia a sua resposta entre as oferecidas como opções.
2.2 – Distribuição da população
Base DATASUS e IBGE, base 2009, com dados da população definidas por faixas etárias (< 18 anos, 18 a 29, 30 a 39, 40 a 49, 50 a 59 e > 60 anos).
População total por município:
• Vitória – 320.153
• Cariacica – 365.860
• Serra – 404.689
• Vila velha – 413.547
População total: 1.504.249
2.3 – Tamanho da amostra
Segundo Triola, a partir da fórmula, tem-se:
N = (1,96 x 1,96 / 0,49 x 0,49) x 0,5(1 – 0,5)
Portanto, uma amostra de 960 pessoas, distribuídas segundo a população dos municípios e nestas, pelas respectivas faixas etárias, asseguraria estimativas com erro de (+ -) 2,2%.
Como a proposta não era apenas de amostrar a sociedade como um todo, mas também realizar a comparação da percepção ambiental entre segmentos religiosos (católicos e evangélicos), foi adotada uma amostra de 480 pessoas que definindo um erro (para mais ou para menos) inferior a 4%.
2.4 – Aplicação dos questionários
Por ser um questionário com muitas perguntas, impossível de ser aplicado por abordagem nas ruas, optou-se por desenvolver as pesquisas em unidades religiosas – católicas e evangélicas – selecionando-se, para a aplicação dos mesmos, universitários da própria comunidade religiosa, tendo-se a aprovação prévia dos padres e pastores das unidades selecionadas para a realização da pesquisa.
Ou seja, a adoção de trabalhar em unidades religiosas acabou sendo a sustentação para a segunda linha de pesquisa, ou seja, a comparação da percepção ambiental de católicos e evangélicos. (ecodebate)

Nenhum comentário: