sábado, 19 de dezembro de 2009

Emissão do evento deve ser o triplo do previsto

Enquanto milhares se reúnem em Copenhague para discutir as mudanças climáticas, a conferência em si vai gerar uma quantidade de carbono comparável à de uma cidade de 100 mil habitantes. Os organizadores da COP-15 subestimaram o número extra de pessoas na capital dinamarquesa - apenas de credenciados são 45 mil, além de milhares de manifestantes. A emissão calculada inicialmente era de 46 mil toneladas, mas poderá ser três vezes maior. Apesar dos apelos para que se evitassem os meios de transporte mais poluentes, foram distribuídos cartões para uso gratuito de transporte público e há bicicletas disponíveis -, o número de limusines alugadas mostra que nem todos deram atenção. Foram mais de 1,2 mil, o que obrigou a encomendar carros da Alemanha e da Suécia. Apenas cincos carros híbridos foram alugados. O número de jatos particulares chegando nos próximos dias, 142, excedeu a capacidade do aeroporto. Alguns terão de estacionar em cidades vizinhas e voltar para pegar seus donos, mais emissões não planejadas. A organização pretendia que os participantes diminuíssem a quantidade de papéis distribuídos. Não tiveram sucesso. Folhetos, documentos, etc, atulham as mesas e as pessoas. Poucos feitos de papel reciclado.Para compensar emissões, o governo dinamarquês pretende trocar 20 ônibus velhos por novos, que poluem menos, em Dhaka, capital de Bangladesh. A conta é que deixarão de serem emitidos 50 milhões de toneladas de CO2 por ano. Isso significa que a COP-15 só deverá pagar suas emissões depois da COP-18.

Nenhum comentário: