domingo, 31 de janeiro de 2010

Pesquisadores discutem projeto para redução das emissões por desmatamento

Pesquisadores da Rede GEOMA e The Nature Conservancy (TNC) participaram de reunião sobre o Projeto Piloto REDD São Félix do Xingu, voltado a redução de emissões e mitigação das mudanças climáticas, nos dias 28 e 29 de janeiro/2010 no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), em São José dos Campos (SP). A iniciativa, que pretende aliar conservação e uso sustentável dos recursos florestais com o desenvolvimento socioeconômico do Pará, será discutida no âmbito dos projetos “Modelagem de Arranjos Institucionais e Mudanças de Uso da Terra em Múltiplas Escalas” e “Land Use Change in Amazonia: Institutional Analysis and Modelling at multiple temporal and spatial scales (LUA/IAM)”, da Rede Temática em Pesquisa de Modelagem Ambiental da Amazônia – GEOMA, da qual faz parte o INPE. O projeto piloto de Redução de Emissões pelo Desmatamento e Degradação Florestal (REDD) em São Feliz do Xingu é uma proposta do Governo do Estado do Pará e The Nature Conservancy (TNC), em colaboração com vários parceiros estaduais e locais. Para os especialistas, a redução efetiva do desmatamento e degradação florestal exige alternativas sustentáveis de produção compatíveis com a valorização da floresta em pé. É preciso contemplar áreas privadas, terras indígenas e unidades de conservação, bem como promover a capacitação dos atores locais e o fortalecimento das instituições, desenvolver um sistema de monitoramento e ainda viabilizar recursos para os incentivos necessários. Os pesquisadores da Rede GEOMA irão discutir os alcances e dificuldades do processo para estabelecimento do projeto, bem como sua influência sobre os sistemas de uso da terra na área. Os principais temas em estudo são: · Questões de ordenamento fundiário e territorial (diferentes modalidades de unidades territoriais – unidades de conservação, terras indígenas, assentamentos – e suas regras de uso). · Mercados, cadeias produtivas e atuação de agentes privados e organizações coletivas (cadeias de commodities, cadeias de produtos da floresta e biodiversidade, serviços ambientais, REDD, certificação ambiental e pressão de mercados consumidores etc.). · Medidas de controle do desmatamento (ações de comando e controle, limitações de crédito, responsabilização das cadeias e dos municípios ou outras instituições locais). · Políticas de crédito para diferentes setores, incluindo para indústrias (siderúrgicas, frigoríficos, lacticínios), mineração e diferentes atores e/ou atividades agrícolas.

Nenhum comentário: