domingo, 25 de abril de 2010

Estudo sobre elevação do nível do mar é corrigido

A revista científica Nature Geoscience retirou de seus arquivos um estudo que projetava a elevação do nível do mar em até 82 centímetros até o fim do século em razão do aquecimento global. O cientista responsável pela pesquisa, Mark Siddall, do Departamento de Ciências da Terra da Universidade de Bristol, afirmou que havia dois erros técnicos em seu trabalho, comprometendo as conclusões. Ele não soube dizer se suas projeções estavam superestimadas ou subestimadas. O estudo foi publicado em 2009 e confirmou as conclusões do Painel Intergovernamental para Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês), elaborado em 2007. Para isso, o cientista analisou dados dos últimos 22 mil anos. Na época, Siddall afirmou que o estudo "fortalece a confiança para se interpretar os resultados do IPCC". De acordo com IPCC, o nível do mar provavelmente subiria entre 18 e 59 centímetros até 2100, embora o documento ressaltasse que a projeção se baseava em informações incompletas sobre o derretimento da camada de gelo e que a elevação real poderia ser maior. Muitos cientistas criticaram a abordagem do IPCC como muito conservadora. Vários estudos posteriores sugeriram que o nível do mar poderia se elevar mais. Martin Vermeer, da Universidade de Tecnologia de Helsinque, na Finlândia, e Stefan Rahmstorf, do Instituto Potsdam para Pesquisa sobre Impactos Climáticos na Alemanha, publicaram um estudo em dezembro do ano passado que projetava o aumento de 0,75 metros para 1,9 metros até 2100. Ao anunciar a retirada formal do estudo da publicação, Siddall disse: "Essa é uma das coisas que acontecem. As pessoas cometem erros e erros ocorrem em ciência". Ele explicou que havia dois erros técnicos separados no estudo que foram apontados por outros cientistas após a publicação. Pelo fato de os erros comprometerem as conclusões do estudo, foi pedida uma retirada formal da pesquisa dos arquivos da revista, em vez de uma correção. "A retirada é uma parte normal do processo de publicação", justificou ele. "A ciência é um jogo complexo e há procedimentos estabelecidos que funcionam como verificações e balanços", disse. O Nature Publishing Group, que publica Nature Geoscience, informou que esse foi o primeiro trabalho retirado da publicação desde sua criação em 2007. O trabalho, intitulado "Constraints on future sea-level rise from past sea-level change", usou dados de corais fósseis e registros de temperatura derivados de medições do núcleo do gelo para reconstruir como o nível do mar flutuou com a temperatura desde o pico da última era do gelo. A partir destes parâmetros, foi construída a projeção de como ele subiria nas próximas décadas. Numa declaração conjunta, os autores do estudo disseram: "Desde a publicação, tomamos consciência de dois erros que incidem sobre uma estimativa detalhada da elevação futura do nível do mar. Isso significa que não podemos mais tirar conclusões firmes com respeito à elevação do nível do mar no século 21 desse estudo sem novos trabalhos." Segundo eles, um dos erros foi por causa de um "julgamento defeituoso" e o outro ocorreu por não considerarem integralmente as mudanças de temperatura nos últimos 2 mil anos. "Por conta dessas questões, retiramos o trabalho e investiremos em novas pesquisas para corrigir esses erros", disse Siddall. O pesquisador também agradeceu Vermeer e Rahmstorf por "trazerem essas questões à nossa atenção".

Nenhum comentário: