segunda-feira, 25 de abril de 2011

Geleiras de cordilheira no Peru encolhem 30%

As geleiras da Cordilheira Branca, no Peru, retrocederam 30% nos últimos 40 anos por causa das mudanças climáticas.
Dos 720 km² de glaciares que existiam no Peru em 1970, restam agora 510 km², afirmou César Portocarrero, responsável pela Unidade de Glaciologia da Autoridade Nacional de Água peruana.
Outras geleiras no Peru perderam ainda mais com o aquecimento global e o retrocesso é mais acelerado nos glaciares de pequeno tamanho: alguns perderam 70% de superfície.
Portocarrero não tem uma visão otimista da situação. Ele acredita que entre 20 e 30 anos as geleiras do país poderão desaparecer.
Um dos riscos diretos para a população é de deslizamentos ou de alagamento de povoados localizados perto de glaciares - já que os lagos que recebem a água derretida nas geleiras podem ficar sobrecarregados.
Por isso, ele defende que sejam tomadas medidas preventivas, como a construção de barragens e diques, para evitar desastres como o de 1941, quando uma inundação em Huaraz, que fica na região da Cordilheira Branca, resultou na morte de cerca de 5 mil pessoas.
Outro problema com a perda dos glaciares será a falta de água para a população que vive na região - Portocarrero avalia que em 20 anos já será notada a escassez de água. (OESP)

Nenhum comentário: