sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

A taxa de aumento do nível do mar é o maior

A taxa de aumento do nível do mar nas últimas décadas é maior do que a prevista
A taxa de aumento do nível do mar nas últimas décadas é maior do que a prevista pelas últimas avaliações do IPCC, enquanto que a temperatura global aumenta de forma relativamente próxima às suas estimativas.
Isto é demonstrado por um estudo [Comparing climate projections to observations up to 2011] publicado na revista Environmental Research Letters. Stefan Rahmstorf, do Instituto Potsdam para Pesquisa do Impacto Climático (Potsdam Institute for Climate Impact Research – PIK) e seus colegas compararam projeções climáticas e observações reais de 1990 até 2011. Se o nível do mar está subindo mais rápido do que o esperado, isto pode significar que as projeções do IPCC estão subestimadas, o que pode resultar em impactos maiores do que os previstos.
“A temperatura global continua a crescer à taxa que foi projetada nos últimos dois relatórios do IPCC. Isso mostra mais uma vez que o aquecimento global não tem abrandado ou ficado aquém das projeções”, diz Rahmstorf.
As séries comparativas da temperatura do oceano foram calculadas e comparadas com projeções do IPCC pelos cientistas de Potsdam, do Laboratoire d’Etudes en Géophysique et Océanographie Spatiales (LEGOS), na França e os registros dos EUA.
Para permitir uma comparação mais precisa com as projeções, os cientistas levaram em conta as variações de curto prazo da temperatura devido ao El Niño, a variabilidade solar e erupções vulcânicas.
Os resultados confirmam que o aquecimento global, como previsto por cientistas nos anos 1960 e 1970, como consequência de concentrações crescentes de gases de efeito estufa, continua inabalável a uma taxa de 0,16 ° C por década e segue muito próximo das projeções do IPCC. Dados do nível do mar, no entanto, diferem do projetado, porque estão subindo a uma taxa 60% mais rápido do que as últimas estimativas do IPCC.
Os pesquisadores compararam as estimativas de dados de satélite da subida do nível do mar. “Os satélites têm uma cobertura muito melhor do planeta do que medidores de marés e são capazes de medir com mais precisão por meio de ondas de radar e sua reflexão a partir da superfície do mar”, explica Anny Cazenave, do LEGOS.
Enquanto o IPCC projetou a elevação do nível do mar para uma taxa de 2 mm por ano, dados de satélite registraram uma taxa de 3,2 mm por ano. O aumento da taxa de aumento do nível do mar é improvável que seja causado por um episódio temporário de redução das camadas de gelo na Groenlândia ou da Antártica ou outras variabilidades internas do sistema climático, de acordo com o estudo, pois se correlaciona muito bem com o aumento da temperatura global.
“Em contraste com a física do próprio aquecimento global, projetar o nível do mar é muito mais complexo”, diz Rahmstorf.
Rahmstorf salienta que “o destaque das novas descobertas está em indicar que o IPCC está longe de ser alarmista e, na verdade, em alguns casos, subestima os riscos possíveis.” (EcoDebate)

Nenhum comentário: