sexta-feira, 21 de junho de 2013

Casa sustentável

A BASF apresenta em São Paulo sua primeira Casa de Eficiência Energética no Brasil, a CasaE. Essa é a décima unidade construída pela empresa no mundo e pretende mostrar ao mercado soluções e produtos inovadores desenvolvidos para tornar as construções mais sustentáveis e eficientes. A economia de energia da casa chega a quase 70% graças ao uso de materiais diferenciados.
“O projeto traz muitas novidades para o mercado de construção brasileiro e coloca à disposição da indústria a mais diferenciada
tecnologia em materiais de alta performance, eficiência energética e proteção climática. Nosso compromisso é transformar a química para oferecer soluções inovadoras e economicamente viáveis. Dessa forma, contribuímos com a construção de um futuro mais sustentável para as próximas gerações”, diz Alfred Hackenberger, Presidente da BASF para a América do Sul.
A iniciativa também é um presente da BASF, empresa de origem alemã que é líder do mercado mundial e está há mais de 100 anos no Brasil, para a cidade no Ano da Alemanha no Brasil. Esse tipo de construção é o foco da empresa para os próximos anos, pois com o aumento na demanda por moradias nos grandes centros, cada vez mais, será necessário pensar em formas de preservar o meio ambiente sem eliminar o conforto das pessoas. Estima-se que em 2050, cerca de 75% da população mundial viverá em cidades.
Projeto inovador-Com 400m2, a residência localizada na avenida Vicente Rao, zona Sul da capital paulista recebeu investimento de
cerca de R$ 3 milhões. Trata-se de um projeto inovador que apresenta soluções para redução do consumo de água, energia e emissão de CO2. A CasaE ainda responde questões fundamentais do mercado de construção sustentável relacionadas a rapidez dos processos, moradias mais acessíveis, a durabilidade dos materiais utilizados e seu reaproveitamento, além da saúde e conforto das pessoas que habitarão os espaços.
O diferencial da CasaE começa pelo sistema construtivo, que consiste em blocos de poliestireno expandido que proporcionam isolamento térmico. Espumas especiais foram aplicadas nas paredes e no teto para dar conforto acústico e térmico. No processo de construção ainda foram utilizados tintas, vernizes e adesivos com pigmentos especiais que atuam no controle da temperatura e que também contribuem para um menor gasto de energia, reduzindo consideravelmente o uso de ar condicionado, por exemplo.
A obra ainda recebeu pisos drenantes, fabricados com compostos especiais e que evitam o acúmulo de água na superfície. Também estão presentes na casa produtos especiais voltados para revestimento, impermeabilizantes e antiderrapantes.
O interior do imóvel ganhou tinta antibacteriana, que diminui 99% das bactérias nas paredes, proporcionando um espaço mais protegido de doenças. A parte externa recebeu cobertura de tinta contra mofo e tinta acrílica com maior rendimento e durabilidade. Todo o paisagismo foi pensado para valorizar as espécies nativas e os eletrodomésticos e a iluminação contam com o que há de mais moderno em termos de economia de energia e design.
Na Europa e nos Estados Unidos, onde as essas soluções são mais comuns, os produtos já são utilizados em grande escala. O investimento numa obra desse tipo é recuperada em médio prazo com a redução no consumo de energia. De imediato, o resultado é uma construção mais limpa, mais rápida e com menos emissão de CO2.
A CasaE brasileira agora passará por estudos de ecoeficiência que avaliarão os produtos empregados na sua construção. Essas análises serão realizadas pela Fundação Espaço ECO. Além disso, em breve o projeto deve obter a certificação LEED – Leadership in Energy and Environmental Design, principal selo de construção sustentável do Brasil.
Além das soluções para construção da BASF, o projeto conta ainda com parceiros que contribuíram com produtos e tecnologias que estão alinhadas à temática da sustentabilidade. São eles: Arquivo Vivo, Atlas Schindler, Bosch, Daikin, Deca, Gerdau, Guardian, Isoeste, Knauf, Leicht, Leroy Merlin, Nespresso, Owa, Philips, Supermix, Tigre, Veka, Whirpool.
A visitação pública à CasaE, bem como sua operação serão efetivados logo que as documentações formais forem liberadas. Isto deverá ocorrer dentro das próximas semanas. (ambienteenergia)

Nenhum comentário: