sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Reservatórios do SE/CO terminarão em novembro com 17%

NOS: reservatórios do SE/CO deverão terminar em novembro/14 com 17% do armazenamento
Reunião do PMO aponta que chuvas devem ser mais volumosas a partir da segunda quinzena de novembro.
Os reservatórios do Sudeste/Centro-Oeste deverão terminar o mês de novembro com 17% de armazenamento, volume menor que na época do racionamento de energia em 2001, quando o armazenamento era de 23%. Já nos reservatórios do Nordeste, o nível de armazenamento deve cair para 12% no mesmo período. Os dados foram apresentados pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico aos agentes do setor durante a reunião do Programa Mensal de Operação, que aconteceu nesta quinta-feira, 30 de outubro.
O operador está otimista com as previsões dos institutos de meteorologia, que indicam que as chuvas acontecerão dentro da média histórica. Eles identificaram que a atmosfera está com características de período úmido normal, ao contrário do mês de outubro, quando choveu abaixo da média. As chuvas devem ser mais volumosas a partir da segunda quinzena de novembro. A tendência para a próxima semana operativa, segundo apurou a Agência CanalEnergia, é de uma afluência em torno de 65% da Média de Longo Termo para o Sudeste/Centro-Oeste, e de 56% da MLT para o Nordeste. Com isso, a expectativa é de que o Preço de Liquidação das Diferenças continue no teto de R$ 822,83/MWh ou muito próximo dele. Com o passar das semanas de novembro, as afluências devem melhorar e o preço começar a cair.
No entanto, as chuvas iniciais não se converterão em energia natural afluente e um impacto no nível dos reservatórios só deve ser sentido a partir de dezembro. O El Niño, que tinha previsão de ocorrer com intensidade de fraca a moderada, enfraqueceu um pouco.
O ONS ainda demonstrou preocupação com o atendimento da ponta, devido ao baixo nível de armazenamento dos reservatórios. A água do rio São Francisco poderá começar a ser utilizada para atender a demanda máxima. As térmicas continuarão ligadas na base. (canalenergia)

Nenhum comentário: