quarta-feira, 1 de abril de 2015

6 dúvidas sobre a falta de água em São Paulo

Vale a pena comprar mais uma caixa de água e armazenar chuva.
82% dos entrevistados acreditam que haja risco de a água acabar.
1. Há risco de racionamento em São Paulo?
Sim. O governador Geraldo Alckmmin (PSDB) já disse, inclusive, que o racionamento já existe. 
2. Como posso me prevenir da falta de água?
Pelo telefone 195, da Sabesp. Com o RGI da conta de água em mãos, o consumidor pode saber o horário da redução da pressão para se programar. Para quem tem caixa d'água, o ideal é economizar, mantendo uma maior quantidade do recurso guardada para dias sem abastecimento. A água da máquina de lavar, por exemplo, pode ser usada para descarga do vaso sanitário e limpeza da casa. 
3. Vale comprar mais uma caixa d'água?
Sim. Quanto maior a quantidade de água armazenada, menor será o problema nos dias em que a pressão estiver reduzida.
4. Posso armazenar água da chuva em casa, por exemplo, de alguma maneira, para algum uso?
Sim. Uma forma simples de fazer isso é adaptando a calha, para que a água da chuva corra direto para baldes. A água pode ser usada na limpeza da casa.
5. Se ficar muito tempo sem água em casa/trabalho posso cobrar o prejuízo de alguém?
Segundo o Instituto de Defesa do Consumidor (Idec), caso o rodízio seja decretado, a falta de água vai ser generalizada, fazendo com que a população se adapte. Caso não seja oficial, o cliente pode pedir indenizações por danos morais e materiais. 
6. A multa da água está em vigor? Como faço para calcular o consumo e tentar evitar ser multado? 
Sim, a multa está em vigor. É importante saber ler o relógio de água, o hidrômetro. O consumidor deve sempre olhar o contador para saber quanta água passou pelo equipamento. Para fazer o controle de quanto está sendo consumido, anote sempre o último número, na cor preta, da sequência que aparece no contador. Na semana seguinte, faça o mesmo. A diferença vai ser igual ao que foi consumido. Para aplicar a multa, é usada a mesma conta do bônus. A Sabesp usa a média de consumo entre fevereiro de 2013 e janeiro de 2014. O consumidor pode acessar o site Calculadora de Sonhos: http://calculadoradesonhos.sabesp.com.br.

Nenhum comentário: