segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Trump nega mudanças climáticas


Trump e o negacionismo climático: Polêmica só para confundir

Manifestantes chamam atenção para populações ameaçadas pelo aquecimento global.
Quando você vê o derretimento das calotas polares, tem alguma dúvida sobre o aquecimento global. Pois Trump, eleito Presidente, nega essa comprovação científica e avisa que tão logo empossado vai cancelar os acordos climáticos que os Estados Unidos assinaram.

Alguns cientistas “dissidentes” negam a crise climática, isso significa que pode haver alguma dúvida séria, mesmo, a respeito? Uma das alegações é que o Sol está reduzindo seu nível de atividade, porém esquecem de dizer que a medida de tempo desse fenômeno é em milhares de anos, enquanto o desequilíbrio climático pode inviabilizar a vida humana em algumas décadas.

Al Gore, ex-Vice Presidente americano, descreve em seus livros o modo como tais dissidentes são incentivados pela indústria petrolífera para produzir dúvidas sobre o trabalho dos cientistas do IPCC (Intergovernmental Panel on Climate Change), órgão da ONU, situado em Genebra. Com dúvidas, as pessoas não reagem.

Quando os invernos são mais rigorosos alguns questionam “a tese do aquecimento” e de fato esse nome não é o mais adequado, pois o que ocorre é uma maior amplitude térmica, gerando fenômenos extremos, que também implicam em mais ciclones, além do aumento da temperatura média.

A Amazônia não é o pulmão, é o ar condicionado do planeta”, já alertava José Lutzemberger em seu Manifesto Ecológico em 1970. Os mais jovens não sabem, mas no Rio Grande do Sul, por exemplo, não havia ciclones até o ano 2000. As novas gerações já conheceram o mundo assim, repleto de eventos decorrentes do desequilíbrio, o que talvez também ajude a explicar a apatia de protestos contra a destruição ambiental.

Trump é o mais perigoso dos ignorantes, porque é o irresponsável mais poderoso do mundo, capaz de destruir as condições de sobrevivência humana na Terra, ao colocar o país mais poluidor do mundo em rota de colisão com os esforços para diminuir a emissão de gases efeito estufa.

Que o povo americano queira por fim ao Obamacare, seu sistema de saúde pública, é problema deles, se querem acreditar no mito do voltar a ser grande pela prepotência é problema deles, mas se querem poluir mais o planeta, é problema nosso. Pela falta de carisma da Hillary, entre outros de seus muitos defeitos, várias pessoas chegaram a dizer que Trump ou Hillary é a mesma coisa, o que não é verdade. Nem mesmo os líderes do Partido Republicano concordam com Trump, nem mesmo a liberal imprensa norte-americana, que não o apoiou.

Só os ingênuos e os desinformados podem relativizar os danos que sofreremos com Trump no poder. (ecodebate)


Nenhum comentário: