terça-feira, 11 de abril de 2017

Automação reduzirá poluição

Automação de carros deve reduzir emissões de gases em 90%.
Além disso, pesquisa publicada pela revista Nature aponta que o consumo de petróleo poderia ser totalmente reduzido.
Tecnologia que ajuda natureza.
GM
A General Motors iniciou testes de carros sem motoristas
Uber
A Uber também desenvolve automação de carros.
General Motors iniciou testes de carros sem motoristas.
Automação de carros elétricos deve reduzir em 90% as emissões de gases, diz estudo.
Especialistas afirmam que a automação dos veículos – ou seja, sem motoristas – será responsável por grandes mudanças na segurança rodoviária e projetos arquitetônicos das cidades, para citar apenas dois exemplos. Agora, uma pesquisa do Lawrence Berkeley National Laboratory acrescentou outro benefício: eles poderiam reduzir as emissões de gases de efeito estufa dos veículos em até 90%.
De acordo com a análise publicada na revista Nature, as emissões de um táxi autônomo elétrico em 2030 será até 82% menor do que um carro híbrido de propriedade privada no mesmo ano. Quando você compará-lo ­a um carro movido a gás 2014, a redução é tão alta que chega a 90%. O consumo de petróleo, por sua vez, poderia ser totalmente reduzido.
Esta não é apenas uma questão de veículos elétricos criando menos poluição do que híbrido ou carros a gasolina. Há uma série de outros elementos que entram em jogo para criar essa diferença considerável.
Compartilhar um veículo autônomo entre muitos passageiros em vez de usar um carro sozinho “parece ser a maior alavanca que aponta para menor uso de energia”, afirmou o coautor do estudo, Jeffery Greenblat.
Há também a ideia de “right-sizing”, ou o fato de que táxis autônomos de diferentes tamanhos poderiam ser usados dependendo das necessidades dos passageiros. Em vez de todo o mundo andar em um carro de quatro pessoas, um único passageiro com uma mochila montaria em um veículo menor. Veículos menores significam emissões reduzidas.
Porém, os especialistas também estimam que um carro sem motor elétrico custaria US 150 mil a mais (embora outro estudo sugira que a autonomia só adicionará US 5 mil no preço de um carro em 2030). Mas aqui está a coisa: carros de propriedade privada são dirigidos apenas 12 mil milhas por ano, em média. Táxis, por outro lado, cobrem de 40 mil a 70 mil milhas por ano.
Se ainda considerarmos o menor custo por milha de combustível, um carro autônomo elétrico acaba tendo melhor custo-benefício do que um carro híbrido ou de gás privado.
De acordo com o comunicado de imprensa, os cientistas calcularam que, se 5% de 2030 vendas de veículos (cerca de 800 mil veículos) fossem transferidos para carros autónomos, isso economizaria cerca de 7 milhões de barris de petróleo por ano e reduziria as emissões anuais de gases com efeito de estufa entre 2.1 e 2,4 milhões de toneladas métricas de CO2 por ano, o equivalente à redução de emissões de mais de 1 mil turbinas eólicas de dois megawatts. Cada vez mais, parece que o futuro da condução é autônomo, e isso é uma boa notícia para todos. (yahoo)

Nenhum comentário: