domingo, 25 de abril de 2010

Iceberg pode alterar clima

Um iceberg de cerca de 2,5 mil km², que se separou do continente Antártico após se desprender da geleira gigante Mertz, pode causar alterações nas correntes marítimas do planeta e no clima, alertaram ontem cientistas. Para se ter uma ideia do tamanho do iceberg, nele caberia quase duas cidades de São Paulo, que tem área de 1,52 mil km2. Pesquisadores australianos afirmam que o iceberg pode bloquear uma região que produz um quarto de toda a água densa e gelada do mar. Os cientistas estimam que qualquer interrupção na produção dessas águas afetaria as correntes oceânicas e, por consequência, os padrões de clima ao longo dos anos, com invernos mais frios especialmente no Atlântico Norte. O iceberg está flutuando em uma área de água aberta cercada de gelo do mar e conhecida como polinia. Essa água desce para o fundo do mar e cria a água salgada, que tem papel fundamental na circulação dos oceanos. O iceberg de 2,5 mil quilômetros quadrados se descolou da geleira Mertz, que costuma ser descrita como uma língua de gelo saliente de 160 quilômetros na Antártida Leste, ao sul de Melbourne. O iceberg foi deslocado pela colisão com outro bloco de gelo maior e mais velho, conhecido como B-9B, que se rompeu em 1987. Cientistas afirmaram que na Antártida é cada vez mais frequente o desprendimento de plataformas de gelo por causa do aquecimento global. Isso faz com que os icebergs circulem pela região e aumentem o nível de água doce no oceano.

Nenhum comentário: