quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Acidificação dos oceanos e o aquecimento do planeta

Acidificação dos oceanos pode contribuir para o aquecimento do planeta
A acidificação dos oceanos pode ser uma má notícia.
Nossas emissões de gases de efeito estufa não apenas aquece o planeta, elas também acidificam os oceanos. Agora se verifica que esta mudança na química do oceano vai realimentar as mudanças climáticas, potencializando o aumento da temperatura.
A acidificação dos oceanos é uma ameaça para muitos organismos marinhos, como corais (as conchas de alguns moluscos marinhos já estão se dissolvendo). Até agora parecia que este era estritamente um problema para os organismos marinhos e as pessoas que dependem deles, considerando que a maioria dos cientistas do clima consideravam que o dióxido de carbono que é absorvido pelo oceano para ser armazenado era incapaz de afetar o clima.
Mas uma nova pesquisa [Global warming amplified by reduced sulphur fluxes as a result of ocean acidification] sugere que a acidificação terá efeitos em todo o planeta, agindo nas minúsculas plantas marinhas chamadas de fitoplâncton.
O fitoplâncton produz uma substância química chamada dimetilo de enxofre (DMS) que flutua no ar e reflete a luz solar de volta ao espaço, resfriando o planeta. DMS também faz a nuvens mais brilhantes, com o mesmo efeito.
Katharina Six, do Max Planck Institute for Meteorology, em Hamburgo, na Alemanha, e sua equipe coletaram dados experimentais que mostram que o fitoplâncton produz menos DMS quando a água do mar se torna menos alcalina.
Depois de alimentar estes números em modelos climáticos, eles estimam uma redução de 18% do DMS que será lançado a partir dos oceanos em 2100, em comparação com a época pré-industrial.
Se a concentração de CO2 na atmosfera dobrar, o que é provável que isso aconteça ainda neste século, as temperaturas devem subir entre 2 e 4,5 ° C.
A acidificação dos oceanos iria adicionar entre 0,23 e 0,48 ° C a essa estimativa. ”Ficamos surpresos que o efeito foi tão grande”, diz ela. ”Ele certamente acelera o aquecimento global.”
A descoberta contribui para uma lista de efeitos de feedback positivos inesperados que amplificam o aquecimento global .
Estes efeitos podem fazer uma grande diferença, diz Paul Pearson, da Universidade de Cardiff, no Reino Unido. Mas ele acrescenta que a estimativa de mudança de temperatura é baseado em processos que são mal compreendidos, como a física das nuvens. ”Esses tipos de mudanças são possíveis, mas muito difíceis de prever com certeza.” (EcoDebate)

Nenhum comentário: