quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Falta de água faz até Cascão implorar por chuva em SP

A revistinha de outubro do personagem Cascão, de Maurício de Souza, trouxe uma reflexão sobre a escassez de água na cidade de São Paulo. A história intitulada “Racionamento” começa com o personagem que morre de medo de água andando pelas ruas da cidade, quando vê em uma televisão a notícia de que não chovia há 90 dias. Com ares de preocupação, o personagem ouve o apresentador dizer que “os reservatórios de água nunca estiveram tão baixos” e que, “se não chover nos próximos dias, o racionamento de água vai continuar”.
Ao continuar sua caminhada pelo bairro do Limoeiro, onde vive a Turma da Mônica, Cascão se depara com uma criança dizendo que está com sede e a mãe, com um balde na cabeça, dizendo que está indo buscar água. As histórias geralmente alegres de Maurício de Souza ganha, então, ares dramáticos com crianças chorando pela morte das flores e donas de casa dizendo que falta água até para cozinhar.
No ápice do desolamento, Cascão suspira e implora por uma chuva. “Nunca pensei que diria isto, mas gostaria muito que chovesse, agora”. Para a felicidade do personagem, cai a maior tempestade. Em tom de crítica, a história é enfim encerrada com São Pedro dizendo que, se até o Cascão pediu chuva, é “porque a situação estava grave mesmo”.
A história em quadrinhos é publicada no mês em que o Sistema Cantareira, na Grande São Paulo, atingiu menos de 5% de sua capacidade. Ontem, a presidente da Sabesp afirmou que a água vai acabar em São Paulo em meados de novembro caso não chova na região.
Locutor fala claramente em racionamento e cita os níveis dos reservatórios que abastecem a cidade.
Para encerrar a trama, São Pedro “reconhece” que a situação na cidade está muito grave, (terra)

Nenhum comentário: