sexta-feira, 1 de março de 2019

Oceanos aqueceram mais que o esperado e bateram recorde de calor em 2018

Oceanos se aquecem mais rápido que o esperado e batem recorde de calor em 2018, dizem cientistas.
Novas medições mostraram o aquecimento mais acentuado desde 1971. Emissão de gases do efeito estufa pela ação humana aquecem a atmosfera, e grande parte do calor é absorvida pelos oceanos, o que obriga a vida marinha a fugir para águas mais frias.
Oceanos se aquecem mais rápido que o esperado e batem recorde de calor em 2018, dizem cientistas.
Novas medições mostraram o aquecimento mais acentuado desde 1971. Emissão de gases do efeito estufa pela ação humana aquecem a atmosfera, e grande parte do calor é absorvida pelos oceanos, o que obriga a vida marinha a fugir para águas mais frias.
Tempestade Harvey é vista se aproximando do Texas, nos EUA, em 2017. O aquecimento dos oceanos, que vem batendo recordes consecutivos, promove um aumento de tempestades como essa.
A emissão de gases do efeito estufa pela ação humana estão aquecendo a atmosfera, de acordo com a grande maioria dos climatologistas, e uma grande parte desse calor é absorvida pelos oceanos. Isso obriga a vida marinha a fugir para águas mais frias.
“O aquecimento global está aqui e já tem grandes consequências. Não resta dúvida, nenhuma!”, escreveram os autores do estudo em um comunicado.
Pelo Acordo do Clima de Paris, cerca de 200 países concordaram em reduzir o uso de combustíveis fósseis ainda neste século, com o objetivo de conter o aquecimento. O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que quer promover os combustíveis fósseis produzidos nos EUA, planeja se retirar do pacto em 2020.
Os oceanos estão se aquecendo muito mais rápido do que o estimado anteriormente. (g1)

Nenhum comentário: