terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Palavra de ordem: Reciclar

Face à escassez de recursos naturais e à quantidade de lixo existente nas nossas cidades, a reciclagem apresenta-se como uma das acções mais inteligentes e eficazes para ajudar a concretizar um futuro mais limpo e sustentável.
Sabia que:
. Cada ser humano produz, por ano, uma quantidade de lixo dez vezes superior ao peso do seu corpo?
. A decomposição natural de plástico demora cerca de 450 anos?
. Dezenas de milhares de mamíferos marinhos morrem por ano ao comer ou se emaranhar em detritos de plástico?
. Uma fralda descartável demora, no mínimo, três anos para se decompor naturalmente?
. Por cada tonelada de papel reciclado evita-se o abate de 15 a 20 árvores de médio porte?
. Papel produzido com fibra reciclada produz menos poluição atmosférica, gasta menos água e menos energia?
. O alumínio pode ser reciclado inúmeras vezes sem perda de qualidade?
. 84% do lixo doméstico pode ser reciclado?
Nos últimos anos a questão da gestão dos resíduos/desperdícios ganhou uma importância vital. Face à cada vez maior quantidade de lixo gerada pela actual sociedade de consumo (ou deveríamos dizer sociedade de desperdício?), à falta de locais para o colocar, às polémicas da incineração e da localização dos aterros sanitários, reiclar parece ser a chave para um futuro mais limpo e sustentável.
Reciclar implica reaproveitar, reutilizar. A produção de materiais reciclados implica uma menor extracção e delapidação dos recursos naturais da Terra, um menor consumo de energia, um menor volume e número de lixeiras e incineradoras e consequentemente uma redução da poluição. Para que a reciclagem ganhe uma maior importância é essencial que se faça uma recolha, separação e transformação dos resíduos eficientes, que a utilização dos resíduos enquanto matérias primas secundárias seja energética e economicamente vantajosa e que estes produtos tenham um público consumidor que os valorize.
Para que a reciclagem dos produtos seja eficaz é necessário que a qualidade dos resíduos seja a melhor possível. Resíduos impróprios ou sujos podem contaminar todo um lote, tornando o trabalho de recolha inútil. Assim, apresentamos uma lista de material que pode ou não ser reciclável. Outro factor importante para uma reciclagem eficaz é a colocação destes materiais nos recipientes adequados para o efeito.
Material Reciclável
Papel: Jornais, revistas, cadernos, formulários, caixas em geral, fotocópias, envelopes, papel de fax, cartazes, cartolinas, aparas de papel.
Metal: Latas de alumínio, panelas, utensílios de ferro, arames, pregos.
Vidro: Recipientes em geral, garrafas e copos.
Plástico: Embalagens de refrigerantes, de produtos de limpeza e de higiene, de margarina, de leite, canos e tubos, sacos plásticos em geral.
Material não reciclável
Papel: Etiquetas adesivas, papel carbono, papéis sanitários, metalizados, parafinados, plastificados ou sujos, guardanapos, tocos de cigarro, lenços, fotografias.
Metal: Clips, ganchos, canos, recipientes de produtos tóxicos ou de restos de produtos gordurosos.
Vidro: Espelhos, lâmpadas, cerâmica, porcelana, recipientes de produtos tóxicos ou de restos de produtos gordurosos, mistura de vidro de diferentes cores.
Plástico: Tomadas, misturas de papel, plásticos e metais, recipientes de produtos tóxicos ou de restos de produtos gordurosos. 
Outros produtos que podem ser reciclados são as pilhas, os tóners, os cartuchos das impressoras, os disquetes de computador, os pneus usados e o óleo do motor. Convém contactar as autoridades locais para esclarecimentos sobre o local onde colocar estes produtos.
Atenção às falsas rotulagens, muitos produtos rotulados como reciclados ou "amigos do ambiente" não o são na realidade. Informe-se junto das autoridades competentes. (naturlink)

Nenhum comentário: